Vida humana dita anulação do Girabola

A protecção da vida humana e a situação financeira dos clubes ditaram a anulação do Campeonato Nacional de Futebol da primeira divisão, "Girabola2019/20", interrompido desde Março último, devido à Covid -19.

Este facto foi confirmado hoje, em Luanda, no final de um encontro entre os 15 clubes concorrentes e a Federação Angolana de Futebol (FAF). As formações de fora de Luanda participaram por vídeo-conferência.

Tomás Faria, presidente do Petro de Luanda e porta-voz das equipas, citado pela Angop, afirmou que treze dos quinze clubes, reunidos quarta-feira, decidiram-se  pela anulação por razões financeiras e para preservar o bem vida, facto comunicado ao  órgão reitor.  

O dirigente “tricolor” fez saber que “boa parte” dos contratos dos atletas que evoluem na prova terminam em Maio, pelo que a extensão da prova acarretaria custos não previstos. 

Já o técnico do 1º de Agosto, Dragan Jovic, disse ter sido uma decisão previamente acertada entre os presidentes dos clubes e que os técnicos acabaram por apoiar.

“Grande  parte dos contratos dos nossos atletas terminam no final do mês de Maio e esta, também, é uma situação  difícil para a nossa direcção”, reconheceu.

Para o treinador do Recreativo da Caála, David Dias, todos foram surpreendidos pela pandemia, pelo que a vida é prioritária, além da componente financeira, numa altura de crise económica mundial.

Realçou a postura dos líderes dos clubes que encontraram a melhor solução para salvaguardar a continuidade do futebol angolano.

Manuel Docas, presidente do Bravos do Maquis, referiu que a decisão reuniu consenso, por ser uma situação que assola o mundo, mas que Angola, apesar dos poucos casos registados, tem tomado decisões acertadas.

Tal como os restantes interlocutores da Angop, defende a vida em primeiro lugar, pelo que considera a anulação a melhor medida.

O encontro, liderado pelo presidente da federação, Artur Almeida e Silva, juntou três representantes por cada colectividade, sendo um dirigente, um treinador e um médico.

A cinco jornadas do fim, a prova era liderada pelo Petro de Luanda (54 pontos), seguido do 1º de Agosto (51 pontos e menos um jogo).

As duas formações serão as representantes de Angola na Liga Africana dos Clubes Campeões, enquanto do trio FC Bravos do Maquis, Sagrada Esperança e Interclube sairá as duas formações para a Taça da Confederação.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

Olá, deixe seu comentário O seu comentário ficará oculto até ser aprovado pela nossa equipa.

Envie seu Comentário

Enviando Comentário Fechar :/